Batismo é realizado em presídio no leste de Minas Gerais

0
828

Conteúdo original Batismo é realizado em presídio no leste de Minas Gerais“>Batismo é realizado em presídio no leste de Minas Gerais

IMG_0124Inhapim, MG…[ASN] Localizada na região do Vale do Rio Doce em Minas Gerais, Inhapim é uma cidade que abriga cerca de 24 mil habitantes. Um pouco afastado da região central da cidade, encontra-se um presídio. O ambiente não é como os outros. Lá, os internos possuem boas condições de moradia e de convivência. O principal objetivo dos diretores é a ressocialização dos detentos à sociedade. Isso ficou mais fácil de ser cumprido, desde que um grupo da Igreja Adventista se colocou à disposição da penitenciária para estudar a Bíblia com os detentos. Os primeiros resultados já foram vistos no último sábado, 17, quando seis rapazes tomaram a decisão para o batismo.

“O trabalho aqui dentro começou quando fomos convidados a apresentar uma palestra para os rapazes do presídio. Foi quando percebemos a necessidade que eles tinham de dinheiro e roupas. Ajudamos de diversas formas, mas eu ainda me senti no dever de falar de Deus para eles”, explica Reginaldo Vieira Neves, um dos precursores do projeto.

IMG_0082Desde então, o interesse por assuntos religiosos cresceu dentro da cadeia e, durante sete meses, todo o grupo participou dos cultos e dos estudos bíblicos que eram realizados semanalmente. Neste meio tempo, novos membros foram aderidos à casa e outros foram liberados. Por isso, duas novas classes de estudos se iniciaram: Uma com os novos integrantes e outra com os que estão em liberdade condicional, fora do presídio.

Para Rodrigo Teixeira, 28, que foi batizado junto com os colegas, este não foi o primeiro contato com a Igreja. “Eu já frequentava a igreja adventista e o clube de Desbravadores quando era criança. Mas me desviei e acabei me envolvendo com coisas erradas. Perdi minha esposa e meus filhos e me tornei morador de rua”, conta. Anos depois, Rodrigo se encontrava na penitenciária de Inhapim e quando ouviu as músicas que eram cantadas nos cultos de sábado pelos detentos, Rodrigo voltou à infância e sentiu saudade do passado. “Hoje, minha vida está completamente mudada. Eu tenho minha família por perto novamente e estou muito agradecido a Deus por isso”, continua.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here