Covid-19: Adventistas no centro sul de SC doam 12 toneladas de alimentos em sábado solidário

Doações já estão sendo entregues as pessoas necessitadas nas comunidades que a igreja está inserida

Por Daniel Gonçalves
31 de março de 2020

Igrejas ficaram lotadas de generosidade mais uma vez

Em meio a crise pandêmica, com relação ao Covid-19 (Coronavírus), e consequentemente a econômica, a Igreja Adventista tem procurado ajudar o próximo ainda mais. Por isso, no último sábado, 28 de março, uma campanha da Ação Solidária Adventista (ASA) no centro sul de Santa Catarina (Associação Catarinense – AC) arrecadou pelo menos 12 toneladas de alimentos através dos seus membros.

As doações foram entregues nas igrejas adventistas abertas apenas para esse momento. De maneira segura, os fiéis mantiveram distância uns dos outros e seguiram os demais protocolos sugeridos pelo Ministério da Saúde. “Percebemos que muitas famílias das próprias igrejas e pessoas próximas dos nossos membros já estão em situação complicada, por isso decidimos fazer essa rápida campanha em prol do próximo”, explica o pastor Jeferson Fortes, líder da ASA – AC.

“Esse sábado foi fantástico. Claro, preferiríamos não ter vírus algum e estarmos nos templos adorando a Deus e ajudando o próximo melhor. Mas diante da realidade que vivemos, conseguimos exercer nossa função de amar ao próximo. O isolamento não atrapalhou a nossa generosidade. Pastores e membros enfrentaram com bravura os obstáculos e por isso conseguimos alcançar essas 12 toneladas”, ressalta o pastor Apolo Abrascio, Presidente – AC.

Além disso, nesta segunda-feira a Associação Catarinense comprou 3 mil cestas básicas para auxiliar as pessoas em necessidade social por não poderem trabalhar neste período de isolamento. As cestas, também serão entregues para todos os distritos. “Em uma época que as instituições religiosas são criticadas, nossa igreja não vê limite para ajudar o próximo. Um valor alto, mas bem investido. Tem gente que não está conseguindo trabalhar e não tem dinheiro para a comida. É o mínimo que podemos fazer”, conclui o pastor Jeferson Fortes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *