O que precisamos entender sobre traduções da Bíblia

0
489

Tire suas dúvidas sobre versões e traduções da Bíblia e compreenda que se trata de um processo antigo, sério e responsável. E desfrute da leitura da Bíblia.

Por Carlos Olivares
10 de maio de 2019

Manuscritos do Mar Morto da caverna de Qumram. O que se tem hoje são versões a partir de cópias dos manuscritos. Foto: Shutterstock

Ao escolher uma ou várias versões da Bíblia, sempre se deve lembrar de que elas não foram escritas em português. O Antigo Testamento foi escrito em hebraico e, em alguns casos específicos, em aramaico (ex.: Daniel 2:4-7:28). O Novo Testamento, por outro lado, foi escrito em grego koiné ou helenístico, que é diferente do moderno e do clássico em muitos aspectos. Isso significa que aquilo que lemos periodicamente e, em especial na igreja, é uma tradução da Bíblia. Este artigo oferece dois conselhos que todo leitor poderia considerar ao ler ou estudar uma ou mais versões.

Leia também:

Escolha a tradução correta

Fundamentando-se na metodologia usada, basicamente há duas classes de tradução da Bíblia. Estas são: equivalência formal e equivalência dinâmica.

Equivalência formal – Uma tradução de equivalência formal adota, na medida do possível, a estrutura gramatical da língua original e procura respeitar o uso léxico e sintático do texto traduzido.

Exemplo: Na oração em hebraico, aparece primeiro o verbo e depois o sujeito. A tradução de equivalência formal propõe seguir o mesmo padrão para apresentar o texto bíblico de forma literal.

Equivalência dinâmica – O modelo da equivalência dinâmica, por outro lado, propõe traduzir as línguas do texto bíblico de acordo com seu significado essencial, independentemente de se a ordem das palavras mudar, ou se um adjetivo for transformado em substantivo.

O significado dos vocábulos, conforme a proposta, funciona na base do propósito que eles, contextualmente, buscam, selecionando termos que reúnam sentido semelhante e não necessariamente a locução original. De acordo com essa interpretação, o importante para essa perspectiva é adaptar a Palavra de Deus à linguagem, tempo, lugar e cultura do leitor moderno, zelando para que a mensagem bíblica adquira um sentido atual e pertinente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here