Voluntários criam projeto de auxílio a grupo de risco

A iniciativa viabiliza a adoção das medidas indicadas pelo Ministério da Saúde de evitar a exposição de vulneráveis

Por Wiliane Passos
2 de abril de 2020

Douglas Clemente, idealizador do projeto, auxilia na entrega dos ítens para os idosos. (Foto: Reprodução)

Composto inicialmente por 25 pessoas, o projeto “Covid-nos” objetiva oferecer suporte às pessoas residentes da comunidade de Capoeiruçu, onde se encontra a Faculdade Adventista da Bahia (FADBA) em Cachoeira.

Devido à pandemia do Covid-19, todos tiveram que reorganizar seus horários, rotina e alguns requerem de um pouco mais de cuidado dos que os outros. Foi pensando nos grupos de risco, que um grupo de jovens, que não se enquadra nas características, resolveu se colocar à disposição da comunidade para realizar atividades externas.

Leia também: 

O grupo oferece auxílio para realizar compras de alimentos, medicamentos, busca de materiais em postos de saúde e também dispõe de profissionais de enfermagem para fazer curativos em casa. Além dessas atividades, o grupo auxilia no levantamento de informações das famílias necessitadas e arrecada alimentos e materiais de higiene para a distribuição de cestas básicas.

Voluntários adotam medidas de segurança na entrega dos materiais. (Foto: Reprodução)

Liderados por Douglas Clemente, estudante de teologia e pastor auxiliar da Igreja do Câmpus, a equipe segue todas as instruções preventivas de higienização para garantir a saúde e segurança dos voluntários e dos beneficiados pelo projeto.

O projeto têm tido uma boa aceitação, especialmente pelo grupo da terceira idade, que são os maiores beneficiados. “Temos percebido que muitos estão assustados e quando nós entramos em contato levamos também um momento de tranquilidade e confiança em Deus. Além, de reforçar de todos os cuidados necessários para não adquirir o vírus”, acrescenta Douglas.

Clemente também conta que os beneficiados enxergam essa atitude como um movimento de compaixão. “É completamente gratificante, pois percebemos que mesmo em meio a crise do Covid-19 podemos ser instrumentos poderosos nas mãos de Cristo. Nós estendemos também que mesmo que a igreja esteja fechada a obra não pode parar”, conclui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *